Previna-se contra a inadimplência

Não é novidade para ninguém que atualmente não vivemos em um cenário econômico favorável para as empresas e, consequentemente, para os negócios e investimentos. As empresas precisam vender, mas há uma redução no consumo. Como sobreviver?

Segundo um estudo realizado pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), a inadimplência tanto para consumidores quanto para empresas deve crescer em 5% em 2016. Diante dessa realidade, empresas que financiam seus clientes com recursos próprios, ou seja, sem o uso do cartão de crédito ou outro mecanismo, precisam se atentar para não fazer compor esse índice.

Agora vai uma pegadinha: vender nem sempre é a solução. É isso mesmo, pois não adianta a empresa efetuar as suas vendas e não receber.

Em tempos de crise, em que a empresa precisa vender e ao mesmo tempo não pode perder dinheiro com a inadimplência, a solução é usar um pouco de inteligência analítica com o objetivo de “pescar no aquário limpo”, ou seja, selecionar as vendas, olhando para a relação risco e retorno. Isso significa que uma venda deve ser sempre feita não somente visando resultado, pois caso o cliente não efetue o pagamento este resultado nunca será materializado. Por isso, neste momento, as empresas precisam achar um equilíbrio entre o risco e o retorno das suas vendas.

Em suma, é preciso analisar as consequências, por exemplo: suponhamos que uma empresa vendeu para 10 clientes (cada um R$1.000 reais) e sua margem é 10%, ou seja, 1.000 reais de margem, se um cliente ficar na inadimplência toda a sua margem será comprometida.

Autor: João Chela

Deixe uma resposta