O poder da resiliência

Você já ouviu falar sobre resiliência?

Uma rápida procura aos dicionários leva ao seguinte significado, de forma geral: característica mecânica que define a resistência dos choques de materiais. Física: particularidade apresentada por certos corpos, quando estes voltam à sua forma original, depois de terem sofrido deformação elástica.  (Etimologia do latim: resilientia/ pelo inglês: resilience).

No sentido figurado é a habilidade de se adaptar com facilidade às intempéries, às alterações ou aos infortúnios.

Neste artigo vamos usar a analogia para abordar o assunto. Emprestado da Física, o conceito descreve a capacidade de reunir recursos e cavar oportunidades para se recuperar de uma situação de descontrole emocional — seja uma semana de resultados ruins na empresa, más notícias na família ou no trabalho. Não é uma capacidade de fácil desenvolvimento por nós seres humanos. Felizmente, esse não é um “talento” com o qual alguns nascem, e outros não. Podemos nos tornar mais resistentes e maleáveis por meio de treino constante e da incorporação de certos hábitos à nossa rotina. O resiliente encara os desafios de forma proativa e reage mais rápido a uma situação negativa do que outros. Existem algumas ações que podem auxiliar no desenvolvimento desta competência profissional essencial para os profissionais do novo século.

 

Valorize sempre o contato com outras pessoas

Por mais que você se esforce, é impossível separar a sua identidade profissional da pessoal. O bem-estar emocional de um indivíduo no trabalho depende diretamente do estado dos seus relacionamentos familiares, amorosos e sociais.

Tenha sempre um plano B na manga

Grande parte da ansiedade diante das situações profissionais vem do fato de que não sabemos o que pode acontecer a seguir. Munido de um olhar estratégico e preventivo sobre os problemas, você pode ter mais facilidade para enfrentá-los.

Ajude a si próprio e aos outros

Todo dia, você deve solicitar um pequeno auxílio a um colega de trabalho — mesmo que não precise realmente de ajuda.

Também é importante retribuir. A sensação de ser útil para os outros traz muita gratificação para o cérebro, em termos neuroquímicos, além de ampliar a sua visão sobre a diversidade dos problemas do mundo.

Leve uma vida divertida e leve

Pessoas resilientes são leves como bolinhas de tênis: em síntese, elas costumam não se levar a sério demais. Aprenda a rir de si próprio.

Demonstre gratidão

Independentemente da sua religião (ou falta dela), é interessante reservar alguns momentos do dia para um exercício de introspecção. Reserve um tempo para viver o seu mundo interior e praticar a espiritualidade.

A resiliência depende diretamente da capacidade de enxergar o lado bom do mundo, uma visão ligada à prática da gratidão. Quando você se torna grato pelos aspectos positivos da sua vida, nenhuma situação do trabalho —  por pior que pareça —  pode ser realmente uma catástrofe.

O poder da resiliência pode ser um diferencial em sua vida. Vale a pena desenvolvê-lo!

Autor: Jorge Luiz Conde, professor Universitário e Consultor Organizacional.

Deixe uma resposta